Doença misteriosa é diagnosticada em mais 70 pessoas na BA; secretaria fala em ‘surto’

Compartilhe em sua Rede Social

 

O infectologista Antônio Bandeira diz que, diante dos casos, já é possível falar em surto da doença misteriosa…

 

Uma doença misteriosa que causa coceira e bolhas avermelhadas na pele foi diagnosticada em mais 70 pessoas nos últimos dias em Salvador e região metropolitana, segundo informações divulgadas pelas Secretarias de Saúde Municipal e Estadual.

O Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal da Saúde de Salvador informou já ter contabilizado 79 casos. A Secretaria Estadual, por sua vez, fala em 11 ocorrências, em bairros diferentes.

Os primeiros casos foram registrados em um condomínio do bairro de Patamares, em Salvador. A psicóloga Patrícia Correia, que mora no local, disse que, em junho, o filho de 11 anos teve os primeiros sintomas: coceira no corpo e caroços bem avermelhados em várias partes do corpo.

O caso, segundo ela, foi tratado inicialmente com uma possível alergia e melhorou, mas, há duas semanas, o menino voltou a apresentar o problema. Patrícia disse ter tomado um susto depois que descobriu que não era só o filho dela que estava com os sintomas dentro do condomínio.

Adultos, idosos e até bebês do local estão com o mesmo problema. Os moradores do condomínio acreditam que mais de 30 pessoas tiveram esse problema. Eles chegaram a esse cálculo com base em fotografias e informações compartilhadas através de grupos de aplicativos de celular.

Autoridades de saúde estiveram no condomínio e conversaram com os moradores, mas depois descobriram que pessoas de outros bairros da cidade também tiveram os mesmos problemas.

O infectologista Antônio Bandeira diz que, diante dos casos, já é possível falar em surto da doença misteriosa. Ele afirma que os primeiros exames já descartaram dengue ou chikungunya.

O Laboratório Central está examinando amostras das feridas e exames de sangue de alguns pacientes. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) deve receber também amostras de animais e insetos que serão capturados nos locais onde as pessoas tiveram os sintomas.

Informações: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *